terça-feira, 8 de maio de 2018

Altaneirenses realizam comparativo de gastos de 2016/2017

Circula entre membros de grupos do aplicativo WhatsApp, imagens elaboradas com comparativos das despesas da gestão anterior relativas ao último ano, 2016, com o primeiro ano (2017) da atual gestão do Prefeito Dariomar Rodrigues.

As imagens são iniciadas com o seguinte questionamento: “Quer saber o real motivo da crise”? Fazendo referência a atual crise anunciada pelo executivo que tem motivado o corte de despesas e serviços essenciais à nossa população.

De acordo com as imagens compartilhadas, durante o ano de 2016 os gastos com materiais de consumo, com serviços (pessoas físicas) e com serviços (pessoas jurídicas), foram todos muito abaixo do que foram efetivados no exercício financeiro de 2017.


Pelas imagens podemos tabular:
DESPESA
2016
2017
Diferença
%
Material de consumo
1.946.444,39
2.505.332,79
558.888,40
28,7
Serviços – Pessoa Física
694.421,03
794.369,62
99.948,59
14,4
Serviços – Empresas
3.764.605,79
5.212.295,80
1.447.690,01
38,4
Total
6.405.471,21
8.511.998,21
2.106.527,00
32,9

Analisando os gastos dessas três despesas, percebemos que a diferença entre 2016 e 2017 ultrapassa 2 milhões de reais. A despesa com “Serviços – Pessoa Jurídica foi a que mais cresceu, ultrapassando os 38% com relação ao ano de 2016.

Relacionando essas três despesas, notamos um aumento de gastos de quase 33% com relação ao ano anterior, algo que foge de todas as perspectivas de crescimento de receita e despesa.

Uma outra imagem compartilhada traz um resumo dos valores recebidos pelo município nos dois anos em questão (2016-2017). Em 2016 a receita foi de quase 22 milhões de reais, enquanto em 2017 ultrapassou os 28 milhões.

Pelas imagens os dados foram retirados do portal da Transparências. Vale salientar que não foi computado as despesas com os livros, que totalizam mais de 700 mil reais.  

Esperamos que os gestores e demais envolvidos que colaboram com o governo municipal busquem esclarecer esse aumento significativo em tais despesas. Enquanto as explicações não aparecem, nossa população sofre com os cortes realizados e aumenta a desconfiança sobre os gastos efetivados no ano passado.