quarta-feira, 8 de novembro de 2017

Câmara realiza audiência pública para discutir PPA e LOA

A Comissão Permanente da Câmara de Altaneira – CE realizou nessa manhã no Plenário da Casa Legislativa audiência pública para análise do Projeto de Lei nº. 024/2017 que trata sobre o Plano Plurianual (PPA) do Município para o quadriênio 2018-2021 e do Projeto de Lei nº. 027/2017 que trata da Lei Orçamentaria Anual (LOA) para o exercício financeiro de 2018.



A audiência contou com a participação de vários representantes de entidades de classes e de instituições governamentais. Como ainda com a participação da assessoria contábil da Prefeitura Municipal que realizou a apresentação dos dois Projetos de Lei, explanando demonstrativo financeiro da administração e estimando valores destinados as secretarias municipais.   

Ficou nítido que as propostas, reivindicações e prioridades apontadas pela população nas audiências públicas anteriores foram adicionadas ao PPA e a LOA. Como também, alguns valores mencionados para atividades que serão realizadas em 2018 estão abaixo do esperado. Tais como: R$ 10.000,00 para ações voltadas para o meio ambiente; R$ 30.000,00 para revitalização da Lagoa de Santa Tereza e R$ 7.800,00 para aração de terras; dentre outras.

Os membros da Comissão Permanente se prontificaram a propor emendas que melhores essa situação, deslocando recursos de outras atividades ou obras para essas atividades que estão com valores abaixo do esperado.

O Prefeito Dariomar Soares – PT, solicitou aos gestores, servidores e comunidade em geral apoio e ajuda na economia de recursos e bens permanentes e de consumo. Relatou a preocupante situação financeira em que nosso município atravessa e demonstrou-se decidido a investir e gastar naquilo que seja prioridade. Afirmou que já conseguiu alguns recursos por meio de emendas parlamentares, mas na prática não foi enviado nenhum valor.

A participação de todos é de fundamental importância para contribuição na elaboração de um Plano que represente o anseio da municipalidade. Que não seja um Plano elaborado pelo gestor ou pela assessoria do mesmo e sim pelas prioridades elencadas pela população.