terça-feira, 14 de julho de 2015

Após ocupação, Prefeito simboliza entrega de casas do Programa Minha Casa Minha Vida

Após as ocupações realizadas desde ontem por populares as casas do Programa Federal Minha Casa Minha Vida, o Prefeito Delvamberto Soares decidiu realizar a entrega simbólica das residências das pessoas contempladas pelo Programa.


Na reunião, realizada na Secretaria de Assistência Social, o Prefeito enfatizou que seu interesse era de que as casas só fossem entregues após as ligações da eletricidade feita pela da Coelce. Porém, em virtude das invasões, questionou se preferiam que fossem entregues logo. A maioria dos presentes opinaram que sim.

Durante a reunião o Prefeito culpou a empresa responsável pela rede elétrica e ser o único motivo de não ter entregue. Pois a mesma tinha até o dia 27 do corrente mês para realizar o comprometido. Como houve as invasões o mesmo estava adiantando o processo.

Informou que só iria entregar a casa a quem foi contemplado, as pessoas que invadiram devem entregar pois para isso existe polícia e justiça. Não permitirá que as casa sejam ocupadas por famílias que não estejam nas selecionadas.

Em seguida o Prefeito passou a palavra ao Procurador Geral do Município, Dr. Normando, que fora nomeado irregularmente, pois o mesmo não possui domicilio fixo em nossa municipalidade como rege nossa Lei Orgânica. O advogado ressaltou a importância dos contemplados assumirem as suas residências. Afirmou ainda que existe um grupo que não se preocupa com o futuro dessa terra, incentivando as invasões. O mesmo ressaltou que o mundo não está mais para violência, vamos com calma.

A partir daí foi lido a relação das quarenta pessoas contempladas e chamadas a assentarem nas cadeiras selecionadas.

Após a leitura uma mãe questionou ao Prefeito como ficaria a situação de quem não tem onde morar e muito menos condição de pagar aluguel. O mesmo avisou que só tinha 40 casas para serem distribuídas.

Em seguida foi sorteado a Rua e o número da casa que as 40 pessoas escolhidas irão residir.

Nesse  momento só ficou presente as 40 famílias contempladas.


Nessa hora, diversas mães se retiraram anunciando que iriam retornar as casas e não saíram das casas. Só permaneceram no local as pessoas contempladas.

O Delegado da Polícia Militar questionou sobre os casos em que as pessoas contempladas iriam as suas casas e encontrariam as mesmas ocupadas. O que deveriam fazer? O Procurador geral do Município disse que solicitasse que os ocupantes desocupassem e se não obedecessem usassem a força.

Em seguida o Secretário de Governo Dariomar SOARES, informou aos presentes de que as pessoas que estão ocupando as casas estavam orientadas a não sair. Pois os contemplados não deveriam brigar e sim chamar a polícia para resolver.

Após a reunião fomos ao conjunto habitacional e verificamos algumas pessoas desocupando as casas para as pessoas contempladas e outras informando que não sairão.

Um fato muito questionado pelos populares foi de que o Vereador e Secretário de Infraestrutura Antonio Leite estava visitando as casas e solicitando que as pessoas tivessem consciência e entregassem as casas aos contemplados. Porém, as famílias ficaram chocadas em saber que o filho do Vereador/Secretário foi um dos contemplados com uma das casas.

Não estamos questionando que o filho do Vereador/Secretário não tenha direito ou necessidade de ser um dos contemplados, mais sim o fato de que será se não existe  pessoas com maior necessidade? ou ainda, pessoas  que não têm a mínima oportunidade?

Queremos parabenizar as pessoas que entregaram as casas, reconhecendo que os contemplados eram mais necessitados que os que haviam ocupados. Como ainda aos que não arredaram o pé e continuaram nas casas por não terem para onde ir e por serem mais necessitados do que os contemplados. E mais ainda, aos que têm a coragem de denunciar a imoralidade de ironizarem um filho de um Vereador/Secretário ser contemplado, proclamando que quem deveria ter consciência era o Vereador e que a casa entregue ao mesmo fosse dada a uma pessoa de maior necessidade.

Diante do ocorrido, queremos expor que não incentivamos  a ninguém ocupar, invadir ou destruir o nosso patrimônio. Apenas orientamos  a não praticarem o ilícito ou serem, como vem acontecendo, desrespeitados e destratados.

Mesmo com as afirmações de que somos os responsáveis pelas ocupações e ainda tendo que ser contrário a forma como tudo está sendo conduzido. Torcemos para que tudo seja resolvido e que seja respeitado a necessidade e direito das famílias altaneirenses de terem o mínimo de dignidade possível.