quarta-feira, 23 de abril de 2014

DECLARAÇÃO DE TASSO MUDA CENÁRIO POLÍTICO E AGITA BASTIDORES NO CE.

O Ex-Governador e Ex-Senador Tasso Jereissati. Foto: Circuito A.
O ex-governador do Estado do Ceará, Tasso Jereissati (PSDB), admitiu pela primeira vez que poderá disputar um mandato nas eleições deste ano. Com a declaração do tucano, o cenário político muda e agita os bastidores.
Tasso é um possível candidato ao Senado Federal, para montar palanque de apoio ao senador e pré-candidato à Presidência da República, Aécio Neves.


A hipótese foi considerada sob a pressão de presidentes de diretórios do PSDB, durante reunião ontem (22/04)em Brasília. Segundo lideranças presentes, Tasso disse: “Se for imprescindível minha candidatura, a gente volta a conversar”. 

Para a cúpula do partido, o retorno do cearense às urnas é considerado imprescindível para a campanha do senador tucano Aécio Neves à Presidência da República.

Durante a reunião, Tasso, que vinha se mostrando irredutível na decisão de não concorrer, negou que esteja omisso à responsabilidade de fortalecer o palanque de Aécio no Ceará e disse que se sente “corresponsável” pelo projeto nacional da sigla. Segundo o deputado federal Raimundo Gomes de Matos (PSDB), que participou do encontro, o tucano-mor do Estado também ressaltou a necessidade de uma boa composição partidária e disse que fará “as articulações necessárias” para isso.

A guinada no discurso de Tasso é um ingrediente novo no panorama pré-eleitoral. Apesar dos índices de rejeição em torno de seu nome, a oposição aposta que a participação do tucano torna a disputa mais competitiva e“fortalece a chapa à qual ele se alie”, afirmou o deputado estadual Heitor Férrer (PDT), um dos principais críticos do governo Cid Gomes (Pros) na Assembleia.

Consequentemente, a situação tornaria menos confortável o plano de Cid de emplacar os candidatos de sua aliança – principalmente, na vaga do Senado, pleiteada internamente pelo deputado federal José Guimarães (PT) e o senador Inácio Arruda (PCdoB). “O Tasso entrando no jogo, muda. É sempre um candidato forte”, avaliou o presidente estadual do PPS, Alexandre Pereira – que está ao lado do Pros em 2014.

A situação também atiçaria os planos do senador e pré-candidato ao Governo Eunício Oliveira (PMDB), cuja aliança com Cid está à beira do rompimento. Ao jornal O POVO, o peemedebista foi cauteloso ao avaliar as declarações de Tasso. “Quanto mais opções a população tiver, melhor para o debate político”, afirmou. Ele voltou a dizer que irá procurar o PSDB e, questionado, lembrou a possibilidade legal de os dois partidos estarem juntos mesmo com candidatos a presidente diferentes – Eunício pedirá votos para Dilma Rousseff (PT), não para Aécio.

Com informações: Site Cearaagora e Blog de Altaneira