sábado, 15 de março de 2014

PROFESSORES MANTEM PARALISAÇÃO EM APOIO A GREVE NACIONAL

Tabela construída pelo Prof. Evantuil
Os professores de Altaneira - CE que decidiram PARALISAR as atividades educacionais nesses dias 17 e 18 de março, em apoio a GREVE NACIONAL proposta pela CNTE – Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação, irão manter a decisão e farão atividades na cidade.

A Greve proposta pela CNTE é de três dias 17, 18 e 19 de março, porem como no Ceará o dia 19 já é feriado, dia de São José, não haveria como paralisarmos os três dias. Na proposta são lançados 6 questões nacionais a serem defendidas pela categoria, são elas:
·        Royalties do petróleo investidos na valorização dos educadores;
·        Carreira e jornada para todos os Profissionais da educação;
·        Contra a proposta de reajuste dos governadores e o INPC;
·        10% do PIB para educação pública;
·        Pelo cumprimento da Lei do Piso;
·        Votação imediata do PNE.

Os professores da EEM Santa Tereza foram os primeiros a discutirem as questões e em unanimidade defenderam a importância de apoiarmos importante movimento na defesa da melhoria na educação nacional.

Buscamos apoio ao SINSEMA e juntos convidamos os professores da rede municipal de ensino a fazermos undos esse manifesto. Fomos a todas as escolas do município, levamos a mensagem da CNTE e tentamos sensibilizar nossos colegas professores a respeito do momento em que atravessa nosso sistema educacional.  

Na EMEF 18 de Dezembro a maioria dos docentes foram favoráveis a paralisação, assim como na EMEF Joaquim de Morais. No entanto, nas demais Escolas os profissionais demonstraram divididos e nos foi solicitado um encontro com os demais e que nos informariam a respeito depois. Na Escola Joaquim Rufino em que a Diretora é sobrinha do Secretário de Educação e prima do Prefeito, os professores decidiram não paralisar, assim como na Escolinha Disneylândia, que tem a frente a esposa do Secretário e na Creche Ciranda do Saber que tem como Diretora a sobrinha do Secretário e irmã do Prefeito. Não queremos relacionar que tais parentescos tenham contribuído para tal decisão, porem, alguns professores nos questionaram e chamara a atenção pra esse fato.

Na tarde de quarta procuramos o Secretário de Educação na Prefeitura e convidamos o mesmo a se engajar conosco nessa luta, que não deve ser somente dos professores e sim de todos. O mesmo propôs que fosse paralisado somente um dia. Levamos a proposta aos professores da EEM Santa Tereza que foram os primeiros a aderirem e os mesmos em sua totalidade não aceitaram. Voltamos e comunicamos ao Secretário a decisão final e solicitamos o seu entendimento de que estamos seguindo uma pauta nacional e não local, pois a proposta seria paralisar três dias, já estávamos paralisando apenas dois dias, devido o feriado. Como também já apresentamos a possibilidade de reposição de um desses dias no dia 11 de julho, tendo em vista que voltamos das férias no dia 12, segundo calendário escolar.

Ficou acordado que o Secretário procuraria o entendimento das duas escolas que não aderiram a paralisação no sentido de facilitar a reposição posteriormente. Ficando mais viável a reposição se todas parassem.

Na manhã de ontem o Secretário enviou uma “carta” as escolas solicitando que os professores assinassem uma lista opinando se eram favoráveis ou contrários a paralisação. Ficamos surpresos, pois isso não foi o que havíamos acordado na quarta à noite em sua residência.

Já por volta das 16h da sexta, o secretário envia nota aos professores informando que as escolas funcionaram normalmente tendo em vista que a maioria dos que assinaram foram contrários a paralisação.
Veja a nota:
 
Nota encaminhada aos professores pelo Secretário
Ficamos decepcionados com a postura do Secretário em não ter compreendido a proposta da CNTE, não acreditar no movimento e na luta de todos nós em defesa da educação. Lamentamos a postura da maioria dos nossos colegas em viverem angustiados e brigando por melhorias, mas na primeira oportunidade que tem de expressarem pra sociedade suas revoltas, preferem continuar atrás dos birôs e seguirem na espera que apareça alguém e faça algo pelo os mesmos.

Mas como já colocamos, o movimento é democrático, participa quem quer quem acredita e busca uma educação melhor. Aqueles que acreditam já terem consolidado e possuem o necessário para tal respeitamos sua postura.

Dessa forma, os professores que assinaram favoráveis ao manisfesto irão se reunir, nesta segunda 17, no SINSEMA por volta das 8h e em seguida realizar uma caminhada até a rádio AltaneiraFM. Na terça 18, votaremos a nos reunir novamente no SINSEMA, a partir das 13h e faremos caminhada pelas principais ruas da cidade até a Câmara de Vereadores.

Vejam a relação dos professores que assinaram favoráveis e contrários a paralisação, por escola: