segunda-feira, 24 de março de 2014

PROFESSOR CARLOS TOLOVI COMPARA SECRETÁRIO DE EDUCAÇÃO A DITADOR E CORROMPIDO PELO PODER

Professor Carlos Tolovi. Foto: Blogdealtaneira.
Na manhã do ultimo sábado, 22/03, o Professor da URCA Carlos Alberto Tolovi no Programa Esperança do Sertão de inteira responsabilidade da Associação Raízes Culturais de Altaneira – ARCA, transmitido pela Rádio Altaneira FM, levantou diversos questionamentos e críticas a respeito do tema: Educação e Politica, como também sobre a postura do Secretário de Educação, Deza Soares, tio do Prefeito.

O Professor justificou que havia selecionado esse tema devido às manifestações realizadas pelos professores na cidade de Altaneira, caminhadas, uso da rádio Altaneira FM, uso da Plenária da Câmara de Vereadores em apoio a Greve Nacional proposta pela CNTE.

Como sempre faz, o programa foi iniciado com diversas reflexões direcionadas aos ouvintes pelo Professor, tais como:
·        Como você define as relações entre politica e educação?
·        O que a politica tem a ver com a educação?
·        Tem algo em comum? Uma pode interferir na outra? O que você acha?
·        Onde os políticos aprenderam até chegar às posições que ocupam? E depois como eles olham pra escola?
·        Como os políticos irão se preocupar com a educação pública, se as pessoas se tornarem críticas e conscientes podem questionar o próprio sistema?
·        O que é mais importante pra você: a politica partidária ou a educação?
·        Como são escolhidos os Secretários de Educação, os coordenadores e diretores das escolas: por competência ou por acordos políticos?

Tolovi traz algumas respostas e posicionamentos a respeito dessas questões. E afirma que a educação brasileira é refém da politica partidária, em que a escolha de todos para dirigir alguma área na educação são feitas por meio de acordos e dificilmente pela competência. Ele também responsabiliza os professores pelos fracassos que a educação enfrenta. Cita que o primeiro grande erro é não educar pra vida e pra cidadania. Lamenta ainda a desunião dos profissionais da educação. Sem poder de união na busca de melhorias na educação.

Falando diretamente sobre a paralisação dos professores em Altaneira, Carlos afirma que acreditava que não viria mais professores serem obrigados a assinarem lista, isso era do tempo dos coronéis, da ditadura. E complementa: anunciar no Sindicato que irá descontar dos professores que aderiram a manifestação é outra situação que não acreditava que acontecesse.

“Quer conhecer alguém dê a ele poder. Como é que uma pessoa tem toda sua caminhada politica como oposição? Marcou sua trajetória politica combatendo um sistema político que excluía que perseguia que se utilizava de métodos como pressão psicológica. Hoje essa mesma pessoa, diante de uma manifestação em favor da educação, se utiliza dos mesmos métodos que foram utilizados durante a história politica de Altaneira. Porque o nosso Secretário de Educação se perdeu tanto nesse processo conflitivo com os professores?” Indaga Carlos Tolovi.

Na ultima parte do seu programa, o Professor Tolovi, cita um pensamento do Mestre Paulo Freire: “o oprimido guarda dentro de si o opressor”. Fazendo uma relação com a postura adotada pelo Secretário sobre a Greve Nacional. É na verdade o poder que corrompe ou na verdade o poder desvela e revela? Quer conhecer alguém dê poder a ele. Pois quando se esta com o poder na mão o opressor se manifesta dentro daquele que antes era oprimido, questiona.


Acredito que quem acompanhou os questionamentos e reflexões proferidas pelo Professor Carlos Tolovi, comprovou que este foi um dos melhores programas elaborado pelo Professor. Todos já debatemos e até criticamos com maior veemência a postura LAMENTÁVEL do atual Secretário de Educação. Porém, as relações e problemáticas levantadas por Carlos vêm com uma força e visibilidade ainda maior. Parabéns pelo programa e muito obrigado pelo apoio a nossa categoria.

Ficamos surpreso por não ser dada maior divulgação a respeito do belíssimo programa, nem o Blog de Altaneira, fez se quer referência a respeito. Será porque?