segunda-feira, 24 de fevereiro de 2014

PREFEITO E SECRETÁRIO ENTERRAM DE VEZ ESPERANÇA DE REAJUSTE PARA OS PROFESSORES

Secretário de Educação e o Prefeito. Foto: Garoto Beleza.
O Prefeito, Delvamberto Soares, e os Secretários de Educação, Deza Soares, o Secretário de Administração e Finanças, Ariovaldo Soares, ambos tio do Prefeito, realizaram reunião nessa noite, 24/02, com os professores de Altaneira para opinarem sobre a redução no salário dos Professores Temporários encaminhada a Câmara de Vereadores. Acreditamos que tal decisão veio acontecer devido a pressão aplicada pelos Professores e pela Câmara.

Após o Secretário de Educação expor como seria a redução salarial, em que o mesmo conceituou de “Adequação”, citando as previsões de redução que estão no Projeto, onde o Professor passa de R$ 1.042,00 para R$ 850,00. Vereadores e professores entraram no debate e expuseram suas posições.

O Prefeito anunciou que a proposta é aplicar 65% dos recursos do FUNDEB e não mais os 71,6% que aconteceu ano passado. Para isso seria necessário à contenção de despesas e essa proposta de reduzir o salário dos temporários já era uma das ações para alcançar essa meta. No entanto, entendia que os valores economizados seriam insignificantes. Registrou que se com as economias não fosse aplicados os 65% propostos, a sobra seria dividida com a categoria.

Para o Secretário de Educação, ainda seria preciso o remanejamento de servidores para outras secretárias e de professores foram de sala de aula para os 40%, como também, redução no número de coordenações.

Afirmamos que essa reunião não teria muito que se discutir. Pois, o Secretário deveria apresentar os valores da folha de pagamentos da forma que esta e os valores com as “economias”, para podermos entender melhor a situação e se teria sentido ou não tais economias, como ainda, saberíamos se haveria possibilidade de não atingir os 65% e assim proporcionar um reajuste a categoria.

Porém, diante dessa proposta, fica claro que não haverá possibilidade de reajuste. Se afirmam ter gasto ano passado cerca de 71,6% e querem reduzir pra 65%, não haverá a mínima chance de propor algum percentual que venha ser da economia ou do não atingir os 65%.

Saindo pela tangente o Secretário solicitou que os presentes se posicionassem a respeito da situação. Se os temporários permaneciam com o mesmo salário, isto é, se tudo continuaria como está? Ou se eram de acordo com a redução dos salários? Todos já sabem a resposta. Aclamaram pela permanência e continuar na luta pelo tão sonhado e esperado reajuste.
A professora Cicera Pereira, merecedora de nosso reconhecimento, pela coragem em participar da reunião no SINSEMA e ainda expor publicamente que era contraria a redução de seu salário, pois todos sabem que alguns servidores temporários “temem” e preferem não expor seu pensamento.

Já a Professora Núbia pediu a palavra por três vezes e não concederam, a mesma se revoltou e se retirou, indagando o porquê de estarem ali. Se não podemos falar, é somente pra assistir o que já sabemos que vai acontecer? De fato, ela tem razão, verdadeiro “pão e circo”.

Contudo, não entendemos o objetivo de tal reunião, principalmente da participação dos efetivos, a não ser para terem a certeza que aluta continua e que, basta mais uma vez, os Professores continuarem na luta e persistirem na fiscalização e acompanhamento dos gastos para tentarem garantir a concessão dos três últimos reajustes dados pelo governo federal.


Missão árdua e quase impossível se o gestor continuar com esse pensamento de retroceder também na educação, pois afirma que ano passado aplicou 71,6% e agora aplicará apenas 65%. Vai entender.

Fotos: