sexta-feira, 10 de janeiro de 2014

PMDB e PT rejeitam Ciro no Ministério de Dilma

Ciro Gomes. Foto: Iguatu.net
As articulações de lideranças nacionais do PMDB e PT podem rifar a ida do cearense Ciro Gomes para o Ministério da Saúde ou para qualquer outra pasta do primeiro escalão do Governo Federal. A presidente Dilma, em um gesto de gratidão aos irmãos Fereira Gomes, gostaria de tê-lo no Ministério, mas dirigentes nacionais do PMDB e PT trabalham para evitar a presença de Ciro no Governo. A solução, porém, para o conflito seria a nomeação do irmão de Ciro, governador Cid Gomes.
A pressão dos dois partidos que dão sustentação ao Governo Dilma nasceu porque, no passado, Ciro fez duras críticas ao PMDB e ao PT e, segundo a Coluna Painel, do Jornal Folha de São Paulo, edição desta sexta-feira (, classificou a aliança dos dois partidos de ”banquete fisiológico e clientelista, quando não corrupto”.
O nome de Ciro como possível ministro surgiu a partir da construção do PROS (Partido Republicano da Ordem Social), que nasceu para fortalecer a base de apoio a presidente Dilma Rousseff. Cid e Ciro romperam com o governador de Pernambuco, Eduardo Campos, trocaram o PSB pelo PROS e se mantiveram fiéis a presidente Dilma. Com essa mudança, o PROS ficaria, com pelo menos, um ministério de peso. O nome seria Ciro Gomes e a pasta a Saúde ou Educação.
Abaixo, a íntegra da nota com o título ”Ciro longe do pote”, publicada na Coluna Painel.
Ciro longe do pote
Ciro Gomes (Pros) está riscado do xadrez da reforma ministerial. É o que afirmam, às vésperas da dança de cadeiras, auxiliares próximos à presidente Dilma Rousseff. Os dois maiores partidos da coalizão fazem campanha contra o ex-ministro, que já classificou a aliança PT-PMDB como “banquete fisiológico e clientelista, quando não corrupto”. Em 2010, ele enfureceu os peemedebistas ao definir a legenda do vice Michel Temer como um “ajuntamento de assaltantes”.
-O irmão pode
O discurso muda quando o personagem é o governador do Ceará, Cid Gomes (Pros). Dilma estaria disposta a acomodá-lo na Esplanada em 2015, caso seja reeleita. Neste ano, ele já teria direito a indicar um afilhado para guardar seu lugar.

 Fonte: Cearaagora